A roda de conversa contribuiu com o aprofundamento sobre procedimentos adotados no contrato de gestão e possibilitou a reflexão sobre os desafios na perspectiva da sociedade civil e suas similaridades e diferenças com os novos instrumentos criados com a Lei 13.019, de 2014.

O momento contou com a assessoria do Instituto de Responsabilidade e Investimento Social (IRIS), representando pelo Gestor Administrativo e financeiro, Rogério Luiz, da Associação de Moradores do Conjunto Santa Luzia, representada por Maria de Lourdes e Tiago Muniz, da APAE, representada por Ana Lúcia Godinho e Antônio Purificação, além da organização Filhos do Mundo, representada por Karla Uckonn, Coordenadora do Centro Público de Economia Solidária Salvador, Itaparica e Vera Cruz e Reynan Reis, responsável pela gestão financeira.

As intervenções ficaram por conta de Nailton Cazumba que apresentou o processo histórico da Lei que nasce em 1998 e chega aos dias atuais apresentando características, diferenças e finalidades distintas dos demais instrumentos existentes.

O debate seguinte possibilitou uma reflexão política sobre o importante papel da Plataforma, a fim de pautar a importância do tema junto ao poder público estadual. Durante a reunião o grupo aprofundou as demandas executadas pelas comissões e pela Plataforma MROSC Nacional, refletindo a necessidade de participar da consulta sobre o Perfil das Plataformas Estaduais e dos próximos eventos previstos, como o encontro com as Plataformas Estaduais, o Seminário Nacional e o Encontro Nacional das Signatárias

A reunião ordinária da Plataforma MROSC Bahia aconteceu no dia 06 de agosto, pela plataforma ZOOM, em parceria com Nailton Cazumbá.