O ambiente provocado pela Covid-19  exige ações emergenciais para geração de renda e acesso à alimentos saudáveis.

O cenário de pandemia mundial atinge o Brasil de forma intensa e descontrolada. De acordo com a Secretaria de Saúde do Estado da Bahia, até este domingo (17), o estado tem mais 129 casos de coronavírus confirmados, com isso, o número total subiu para 8.443, com 295 mortes.

Diante dessa realidade crescente de números confirmados e de óbitos, é possível considerar que o cenário de crise econômica ainda vai se estender e agravar no país, gerando sofrimentos ainda maiores para as populações socialmente mais vulneráveis e politicamente mais desassistidas. Por isso, a Plataforma MROSC Bahia motivou ações de solidariedade da sociedade civil organizada, além de diversas iniciativas do poder público estadual visando promover ações de combate à pandemia e iniciativas que impedisse a disseminação do coronavírus e suas implicações socioeconômicas.

O Edital de Apoio Emergencial do Projeto Fortalecimento e Regionalização da Plataforma por um Novo Marco Regulatório das Organizações da Sociedade Civil, tornou possível a ajuda para famílias de Salvador e de outras cidades da região metropolitana. A ação permitiu o apoio para geração de renda e trabalho e acesso a alimentos de qualidade produzidos sob os princípios da agricultura familiar e da economia popular solidária.

O transporte das cestas através do Terminal Marítimo de São Tomé de Paripe.

 

A Colônia de Pescadores Z4 está situada na Ilha de Maré, região Metropolitana de Salvador e foi um dos grupos beneficiado pela ação emergencial da Plataforma MROSC Bahia. A comunidade reúne mulheres marisqueiras e pescadoras, homens agricultores que cultivam a partir dos valores da agricultura familiar.

A ajuda chegou à comunidade no memento em que, pela necessidade de distanciamento social, para minimizar a transmissão da Covid-19, muitas famílias precisam de ajuda para que, mantendo-se em casa fiquem mais protegidas. “Grata pela solidariedade ao nosso povo! Agradeço a todos vocês que indireta e diretamente tem nos ajudado. É o que tem nos fortalecido”, relata Nega, moradora da comunidade.

Diretamente, cerca de 820 pessoas serão beneficiadas, considerando que cada núcleo familiar é composto por 5 pessoas, ou seja, 160 famílias desta forma distribuídas:

 

  • 49 famílias de pessoas soropositivo para HIV/Aids e população LGBT.
  • 40 famílias da Colônia de Pescadores Z4 Ilha de Maré, situada na Região Metropolitana de Salvador, são mulheres marisqueiras e pescadoras e homens que praticam a agricultura familiar.
  • 19 famílias de Catadores e Catadoras de Materiais Recicláveis do COOPERES
  • 22 famílias de Catadores e Catadoras de Materiais Recicláveis do COOPERLIX, em que cerca de 86% são mulheres negras e 14% homens
  • 10 famílias de povos de terreiros.
  • 20 famílias de marisqueiras e pescadores de São Francisco do Conde, cidade situada a 80km da capital baiana;

A aquisição de cestas básicas visa fortalecer a economia local, reforçando assim, o compromisso da plataforma com uma nova economia e um novo modelo de sociedade pautado no desenvolvimento sustentável e solidário.

A cesta contém 11 produtos produzidos pela agricultura familiar e economia solidária, com os seguintes itens: achocolatado em pó, arroz, creme de milho, farinha de mandioca, farinha de tapioca, feijão carioquinha, flocão, leite em pó, manteiga, e tempero pronto. Também possui seis produtos produzidos pela indústria, os itens são: açúcar, carne de sertão, calabresa, óleo, macarrão e sardinha enlatada. Outros cinco produtos da cesta básica são materiais de limpeza e higiene: água sanitária, sabão neutro, sabão em barra, sabonete e papel higiênico.

Os itens da Agricultura Familiar são produzidos por agricultores/as e camponesas/es, além de Empreendimentos Econômicos Solidários (EES) urbanos e rurais. Toda cadeia produtiva está pautada com base em práticas inclusivas e socialmente sustentáveis, são por isso, agregadoras de valores socioambientais e culturais importantes para a preservação da identidade produtiva regional.

A iniciativa integra o Projeto Fortalecimento e Regionalização da Plataforma por um Novo Marco Regulatório das Organizações da Sociedade Civil e tem o apoio da União Europeia.